Portal Mídia 10

Onde tudo acontece!

Facebook

Por Elayne Diniz em 30 de julho de 2015

De passagem por João Pessoa, a cantora Alinne Rosa bateu um papo com nossa equipe

Antes de seguir carreira solo, Alinne comandava a banda Cheiro de Amor que a projetou nacionalmente

Baiana, nascida no interior de Itabuna, descobriu o interesse pela música ainda muito nova. Com um sonho e muita vontade, resolveu mudar para Salvador e arriscar descobrir o que a esperava. Passou por algumas dificuldades, mas nada que a fizesse desistir. A grande chance apareceu e passou a integrar os vocais da banda Cheiro de Amor, onde passou 10 anos, se consagrou nacionalmente e a quase dois anos segue carreira solo e continua despontando sucessos.

20150729_162537

Aline Rosa em João Pessoa

Hoje o nosso portal bateu um papo com a cantora Alinne Rosa.

Confira entrevista

PM10: Desde pequena você sonhava cantar, ser artista. Em que momento da sua vida você parou e disse: Quero ser cantora e viver disso o resto da vida?

AR: “No começo da minha adolescência, eu vendo os artistas na televisão. Eu sou do interior, sou de Itabuna na Bahia e os artistas iam pra lá na micareta que tinha uma vez por ano e meu maior contato com a música era nesse momento. Eu ficava louca, alucinada. Ficava ouvindo CD, fita cassete na época, imitando, dublando os cantores, desde sempre eu queria ser cantora, acho que com uns 12 anos e comecei a sonhar com isso mesmo”.

PM10: Como passou em sua cabeça que precisava mudar para Salvador para poder ser descoberta e conseguir deslanchar no mercado musical e qual foi a reação da sua família, uma vez que você só tinha 16 anos?

AR: “Na verdade, nada foi planejado. Eu não tinha consciência de sair pra Salvador, me mudar pra lá e acontecer alguma coisa. Tudo foi caminhando e eu fui seguindo meu coração de uma maneira que eu não sabia explicar, eu só sabia que queria ir pra lá, eu gostava daquela energia, daquela ‘vibe’ musical que a cidade tem. A primeira vez que fui pra lá foi em pleno carnaval, então eu pirei. Eu vi a cidade toda louca, alucinada com a festa, o carnaval acontecendo e pra mim foi amor à primeira vista. Foi quando falei: Quero isso aqui para o resto da vida. Em Salvador tem uma coisa que em Itabuna não tinha, anúncios de bandas, do CD de Ivete, Daniela e eu lembro que quando via tudo aquilo ficava encantada. Foi quando eu senti que ai eu ficava mais próxima da música, das oportunidades e fui com a cara e a coragem. Minha família não sabia dos ‘perrengues’ que eu passava, eu escondia, depois quando as coisas deram certo, é que eu contei a verdade a ela. Mas foi muito importante eu ter passado por tudo isso”.

PM10: Quais foram as dificuldades que você passou e teve ajuda de alguém, os famosos padrinhos? E os degraus que você teve que ir subindo até chegar na banda Cheiro de Amor?

AR: “São muitos momentos que a gente passa. Desde o momento que eu cheguei em Salvador, que não conhecia ninguém, não tinha onde morar, onde dormir, não tinha dinheiro e teve um momento também que eu comecei a conhecer gente ligada a música e comecei a fazer testes, barzinhos, foi quando comecei a tirar meu sustento, ganhava um cachê aqui, outro ali, então comecei a ter mais condições de me manter em Salvador. Aos poucos ia conhecendo as pessoas e acho que Deus colocava uns anjos na minha vida que iam me ajudando e até hoje são meus amigos mesmo. Tenho muitos amigos dessa época que me ajudaram a sua maneira e eu sou eternamente grata a essas pessoas”.

PM10: Como a banda Cheiro de Amor surgiu na sua vida?

AR: “A minha entrada no Cheiro foi uma coisa inesperada. Eu estava cantando numa banda que tinha eu e mais duas cantoras e eles viram e me chamaram pra cantar, assim do nada, risos. Esse show que foram me assistir, eu tinha cantado meia música e logo depois o pessoal da produção me chamou pra reunião e me fizeram a proposta e eu não tinha nenhuma experiência, nunca tinha cantado como cantora de frente numa banda, meu trabalho era sempre de backing vocal e esse foi um grande desafio, o maior da minha vida. Encarar uma banda que já tinha uma história e eu tenho uma personalidade muito forte, não sei se é signo, não sei se é porque sou muito independente, ter saído muito cedo de casa e acredito que eu consegui colocar minha verdade no Cheiro e fiquei 10 anos lá e foi um período de muito trabalho, aprendizado, de momentos maravilhosos”.

PM10: Em que momento passou pela sua cabeça em dizer, estou pronta para seguir meu caminho e vou sair do Cheiro de Amor?

AR: “Depois desses anos no Cheiro, eu senti que chegou o momento de colocar mais ainda minha personalidade no trabalho, foi quando eu decidi fazer carreira solo e estou a um ano seguindo meu caminho”.

PM10: “O seu atual trabalho, o EP ”Estilo Meu”, tem cinco canções, uma delas passou por uma novela e duas estão sendo trabalhadas, conte um pouco como está a aceitação do público e mercado”.

AR: “Eu tive o prazer de ter minha primeira música em carreira solo na novela da globo, tema da atriz principal, Helena e essa música “Complicamos Demais” faz parte do EP que foi feito com muito cuidado, pois é o meu primeiro filho, então convidei pessoas da minha confiança para me ajudar. O Alexandre Lins que é um grande produtor musical e me ajudou a fazer três faixas desse EP. Ele foi quem produziu todos os trabalhos de Ivete. Esteve comigo o Dudu Borges também que é o produtor musical número um do Brasil na atualidade, Thiago Gimenes que foi o compositor do primeiro sucesso. Eu tive um grande presente assim que eu saí da banda Cheiro de ter tantos profissionais comigo realizando meus desejos, entendendo o que eu queria passar. O trabalho foi todo voltado para meu perfil, o Alexandre também produziu meu show e eu me sinto bastante realizada com tudo o que eu estou produzindo e conseguindo fazer”.

PM10: Você participou do DVD do cantor Gabriel Diniz que é paraibano e forrozeiro, vocês já se conheciam e o que você achou da mistura do forró com o axé?

AR: “A gente não se conhecia, mas foi amor à primeira vista. Gabriel é muito massa, a gente se deu super bem e foi um prazer pra mim gravar com ele a música ”Mexe e Remexe” e o DVD foi lindo, uma mega estrutura e acabei me sentindo um pouco mais paraibana, risos. Eu gosto dessa coisa de misturar, de ser livre na minha vida e na minha música não seria diferente e misturo tudo, axé, rock, forró, eu topo tudo”.

PM10: Deixe uma mensagem para seus fãs, os Alinistas e para os internautas que acompanham nosso portal. Já agradecemos por nos receber e bater esse papo super descontraído. Desejamos ainda mais sucesso na carreira e nos projetos.

AR: “Um beijo pra vocês, obrigada pelo carinho que estou recebendo aqui na Paraíba. Cheguei agora a pouco, mas nossa, é tanto amor, tanto carinho que estou muito feliz. Estou louca voltar aqui e fazer um grande show para os meus Alinistas paraibanos que são demais”.

 

Elayne Diniz


Copyright 2013-2017 © - Portal Mídia 10 - Todos os direitos reservados.